Todos os direitos reservados. Ana Catarina Carvalho. Com tecnologia do Blogger.

Como lidar com a ansiedade?

Hoje decidi trazer um post mais sério, vamos falar sobre ansiedade. Eu tenho-a, manifestada através de uma Perturbação Obsessiva Compulsiva, e está no top 3 das maiores doenças a nível mundial, em 2º lugar. Sim, a ansiedade é uma doença e, como todas as doenças, deve ser tratada - e não há nada de errado nisso. 
É importante que percebam que a ansiedade acontece porque o nosso corpo não liberta certas hormonas necessárias ao nosso funcionamento, como a dopamina e a seretonina, por exemplo. Pessoalmente, na minha família há uma predisposição genética para este tipo de maleita. Aqui em casa somos quatro ansiosos. Quatro com medicação. 
Aos 4 anos, a ver a Lassie, já me sentia inquieta e chorava porque «a cadelinha estava muito triste», o que sempre indicou que seria uma pessoa muito ansiosa. Penso muito por antecipação, sofro por antecipação e nunca desligo. 
A ansiedade manifesta-se de forma diferente nas diferentes pessoas. Comigo, eu tenho dores no corpo todo, maioritariamente no peito e braço esquerdo. Sinto sempre uma pressão muito grande, como se tivesse um aglomerado de tijolos em cima do meu peito... Cada caso é único, por isso devem sempre procurar um profissional, e a minha ansiedade só acalma com medicação específica para o meu caso, nada mais. No entanto, deixo aqui dois pontos que acho importante focar:

⇒ Coisas que podem ajudar (para quem sofre de ansiedade):
Fazer uma atividade que liberte seretonina e vos faça sentir felizes: - no meu caso, cantar...
Respirar para um saco de papel - limita o nível de oxigénio no nosso cérebro, deixando-o mais lento.
Medicação SOS e consultas de terapia - eu tenho sempre comigo um comprimidozinho.

⇒ Coisas que agravam a situação (para quem convive com pessoas com ansiedade):
Aproximar-se demasiado - é necessário deixar a pessoa ter o seu espaço.
Dizer coisas como «tens que respirar fundo...tens que te acalmar...tens que pensar noutra coisa» - nós sabemos que é o que temos que fazer, mas nem sempre o nosso corpo nos permite fazê-lo.
Perguntar «o que aconteceu? porque é que estás assim?» - muitas vezes, nem mesmo nós sabemos...
Tocar na pessoa que está a ter a crise - este ponto varia um pouco, mas no meu caso eu apenas suporto que me ponham a mão na cabeça. Costas, por exemplo, em modo de conforto está fora de questão porque o peso da mão da pessoa multiplica-se por mil naquele instante.

Quem mais por aí sofre de ansiedade? Deixem aqui nos comentários as vossas experiências.
Nunca se sabe se podem ajudar alguém que esteja na mesma situação!

You May Also Like

0 Baton(s)

Obrigada pelo comentário. ♥
(os comentários são respondidos aqui no Blog)